Helio Contador: “A comunicação e o cérebro: como se apresentar”

Confira algumas técnicas que tive contato e que podem ser muito úteis, desde que utilizadas no evento adequado

No artigo anterior falei sobre uma das habilidades mais aclamadas em um grande líder, que é a capacidade de se comunicar, ou seja, sua competência comunicativa.  Como também mencionei, pelo que li e vi até hoje, os grandes líderes, em qualquer área de atuação, foram mestres na arte da comunicação.

O que quero falar hoje é sobre as razões da importância do impacto da arte da comunicação na hora de influenciar, engajar e motivar as pessoas e quais são as técnicas e ferramentas mais usadas para desenvolver essa habilidade.

Em primeiro lugar, vale lembrar que não existe um local único no nosso cérebro que seja responsável pela comunicação. Praticamente todas regiões cerebrais são ativadas, seja na audição, seja na visão, seja na compreensão da linguagem e das sensações ou mesmo na produção da fala e do intelecto. O córtex cerebral assume diversos papéis e faz com que as funções atribuídas aos diversos lobos cerebrais interajam entre si. Só lembrando que, não só as palavras são comunicadas e interpretadas, mas sim o conjunto completo da linguagem, incluindo as expressões faciais, tom de voz, postura e gesticulações corporais, etc.

Existem diversos e renomados cursos de oratória que podem nos ajudar na entonação da voz, postura e presença de palco e gesticulação, usando diferentes técnicas tais como método teatral, storytelling, neurolinguística, inteligência emocional e vários outros. Podemos aprender a desenvolver e aperfeiçoar a comunicação em público (o que pode representar um momento de terror para muita gente), por meio de técnicas que permitam a desinibição, desenvoltura, clareza, simplicidade, escolha de vocabulário adequado, entusiasmo e o controle do emocional. Saber improvisar, estimular a criatividade, conquistar autoridade e credibilidade, elaboração de roteiro e utilização de recursos audiovisuais de alta qualidade são habilidades fundamentais para um bom apresentador.

Descrevo abaixo, de uma forma bem resumida, algumas técnicas que tive contato e que podem ser muito úteis, desde que utilizadas no evento adequado:

  • Storyboard da Disney: Nasceu para projetos artísticos (desenhos, filmes e livros) e passou a ser utilizado em qualquer área que necessite um bom plano de comunicação, estimulando a participação, comprometimento e motivação dos participantes. É uma maneira eficiente de compartilhar ideias e conceitos, abrindo um canal de comunicação que quebra barreiras entre pessoas e departamentos, principalmente nas funções de estimular a criatividade e novas ideias, derrubar barreiras e obstáculos entre departamentos, planejamento para um novo projeto, feedback do cliente, liderança e comunicações.
  • Comunicação não violenta: enfatiza a importância de se determinar ações baseadas em valores comuns. Todas as ações são originadas com o objetivo de satisfazer necessidades humanas sem se utilizar do uso do medo, da acusação, da ideia de falha, da coerção ou de ameaças. É a capacidade de se expressar sem usar julgamentos de certo ou errado, bom ou mau. A ênfase é posta em se expressar sentimentos e necessidades, em vez de críticas ou juízo de valor.
  • Palestras TEDx: as principais etapas passam pela escolha de um tema que faça sentido e traga valor para a audiência, um tema que você domine e seja apaixonado por ele. Em seguida vem a preparação da palestra, com um esboço bem elaborado, pontos fortes e impactantes, com evidências e imagens marcantes que apoiem o conteúdo. O ensaio e a prática com diversas audiências são fundamentais para que você ganhe confiança na hora H. Agregue humor e entusiasmo, sem esquecer da importante disciplina do tempo. Nessa metodologia, autenticidade, honestidade, integridade e paixão são elementos-chave.
  • Storytelling: desde os nossos ancestrais mais remotos e pré-históricos, a arte de contar histórias nos une, nos envolve, entusiasma, motiva e perpetua seus conteúdos. É uma técnica comprovada e tem sido usada por grandes líderes e empresas globais. Os pontos mais importantes de uma boa narrativa passam pelo engajamento inicial, criação de situações inesperadas de tensão e conflito que prendam a atenção da plateia e finaliza com a resolução da situação de uma forma feliz e esperada, ou não! É muito importante uma boa caracterização dos personagens, a contextualização do local em que a narrativa se passa, criar situações de emoção e a amarração final, com começo, meio e fim. Era uma vez…até que um dia…inesperadamente…e foi assim que…dali em diante…

Bom, o que escrevi hoje tem a finalidade de trazer algumas ideias e técnicas que existem no mercado e podem ser pesquisadas amplamente na internet ou através de literatura especializada.

Algumas são mais simples do que se imagina e podem ser colocadas em prática imediatamente, bastando ter força de vontade e disciplina.

Um abraço, boas histórias e até o próximo artigo…

Compartilhe
Escrito por
Leia mais de Helio Contador

Helio Contador: “Amanhã eu faço…que agonia!”

Segundo psicólogo Tim Pychlyl, deixar as coisas para depois pode ser prejudicial...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *