Marcio Rachkorsky: “Tem pai que é cego”

O que mais preocupa nas ocorrências em condomínios com jovens é a postura dos pais, sempre prontos a defender seus filhos, por mais errados que estejam

Décadas atrás, um famoso programa humorístico tinha um personagem muito engraçado, que fazia questão de não enxergar o comportamento do filho. Surgiu, então, o bordão “tem pai que é cego”! Ao longo das férias, lembrei-me várias vezes desse bordão, mas, infelizmente, não foi nada engraçado. Foram quase dois longos meses de férias escolares, e, diante da grana curta e do tempo chuvoso, as famílias viajaram menos. Logo, a molecada ficou pelo condomínio, e as ocorrências disciplinares explodiram. Vida dura para zeladores, porteiros e síndicos, que precisaram de muito jogo de cintura e paciência. Nos prédios que administro, não foi diferente, e, apesar de uma ou outra ocorrência mais séria, tudo restou equacionado.

Todavia, conversando com diversos síndicos e zeladores, o que mais preocupa nas ocorrências com jovens é a postura dos pais, sempre prontos a defender seus filhos, por mais errados que estejam. Falo aqui não de traquinagem de crianças, mas de casos sérios, envolvendo depredação de patrimônio, desrespeito aos idosos, uso de drogas e até agressão física. Pais que, em defesa visceral dos filhos, usam argumentos pífios, quase inacreditáveis, e, pior, tentam transferir aos funcionários do condomínio o dever de olhar, cuidar e repreender os jovens.

Nas férias, foram muitos casos de pais, constrangidos e incrédulos, assistindo a imagens gravadas pelas câmeras do condomínio, hábeis a comprovar o comportamento nocivo de seus filhos. Ainda assim, muitos deles falam em perseguição, vitimizam os filhos e reclamam até indenização por dano moral. Realmente, “tem pai que é cego”!

Combater o mau uso das áreas comuns e garantir um ambiente de paz e harmonia, sem abrir mão do lazer e da diversão ao longo de todo o ano, é tarefa árdua e complexa, que depende sobretudo da educação e do bom senso dos moradores.

Algumas dicas simples podem ajudar muito nessa missão:

→ revisão e modernização do regulamento interno, com regras claras sobre horários, forma de usar e proibições para cada espaço;

→ inclusão, no regulamento, de penalidades mais severas aos reincidentes;

→ intensa campanha de conscientização, com cartinhas e comunicados leves e objetivos;

→ nos condomínios maiores, criação de uma comissão de pais para tratar de assuntos disciplinares, em apoio ao síndico;

→ ouvir as demandas das crianças e adolescentes e investir na manutenção e criação de boas áreas de lazer e convivência;

→ treinar e orientar os funcionários, para que façam abordagens gentis e não se envolvam em embates e discussões;

→ investir em bons sistemas de câmeras e gravação de imagens, para inibir mau comportamento e gerar prova material para punir os infratores.

Tenho três filhos, moro em condomínio e sou o síndico… As férias estão acabando. Ufa!


Gostou? Leia mais artigos de Marcio Rachkorsky aqui! 

Compartilhe
Leia mais de Marcio Rachkorsky

Rateio extra é dinheiro carimbado

Há um crescente e perigoso procedimento nos condomínios: não respeitar a destinação...
Read More

COMENTÁRIOS

  • O Marcio é amigo da onça, só defende a adm. dos condomínios, e nunca se colocar em favor dos condô
    minos que são os que sustentam e mantêm os mesmos. Deveria atuar de maneira isenta e mão dupla.

  • The revelations came to light on Friday when Pep Guardiola told reporters ahead of the Manchester derby that Raiola had offered him Henrik Mkhitaryan as well as Paul Pogba. ‘One of them is a liar’: Jose Mourinho speaks out about Paul Pogba after Pep Guardiola’s claim he was offered £89m man by agent Mino Raiola

    https://bit.ly/2S3sXus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *