Ricardo Cancela: “Compartilhamento de carros, uma tendência mundial”

A relação com o carro está mudando e precisamos entender que este nicho da economia compartilhada permitirá a muitos ganhar dinheiro em um futuro breve

Estamos acelerando e adentrando na “economia compartilhada”, presenciando a expansão e descentralização do conhecimento, da economia, da maneira como nos relacionamos, como fazemos negócios, inclusive em nosso estilo de vida.

Nos próximos dez anos, este processo de transformação será cada vez mais acelerado, com impactos em relação à competividade e à concorrência no mercado.

É com base nestas transformações que trago o tema “compartilhamento de carros”, uma tendência mundial com mais de sete milhões de pessoas utilizando algum tipo de compartilhamento, segundo dados da consultoria Frost & Sullivan.

No Brasil, existe desde 2010 e o número de pessoas utilizando mais que dobrou desde 2016, ultrapassando mais de 100 mil, somando todas as plataformas existentes em nosso mercado.

Entre as plataformas mais conhecidas estão nomes como Zazcar, Urbano, Pegcar, Moobie, Parpe, Vamo e Olacarro, que já oferecem alguma modalidade de compartilhamento no País, com abrangência nacional.

A relação com o carro está mudando e precisamos entender que este nicho da economia compartilhada permitirá a muitos ganhar dinheiro em um futuro breve.

Vejam que esta aposta está envolvendo também grandes players tradicionais do mercado mundial, como por exemplo, a Car2Go, que faz parte do Mercedes-Benz e tem mais de 2 milhões de usuários nos Estados Unidos, China, Alemanha, Holanda, Itália e outras mais.

É um caminho sem volta e inclusive, já podemos ver este crescimento na cidade de São Paulo e se espalhando por outras capitais.

Para quem ainda não conhece esta modalidade, o propósito primordial é oferecer algo mais barato, com menos burocracia e mais flexibilidade do que um aluguel tradicional, com pacotes por horas ou minutos de uso, tudo feito através dos próprios aplicativos.

No modelo “round-trip”, o carro pode ser alugado em diversos pontos espalhados pela cidade e ser devolvido no mesmo lugar ao fim da reserva. Já no “Free-floating”, é possível pegar o carro em uma região da cidade e devolver em outra, dentro da área operacional da empresa.

A grande vantagem deste tipo de serviço compartilhado é que o usuário pode achar o carro mais próximo e com três cliques estará dentro deste carro, seguindo para seus compromissos.

Dependendo do aplicativo, quem possui um carro próprio pode ingressar oferecendo seu carro para outras pessoas e assim aumentar a renda também.

Por fim, a cada novo artigo estarei trazendo novidades previstas até 2050, visando despertar o interesse e ajudar a nos prepararmos para grandes mudanças e impactos em nossas vidas pessoais, profissionais e empresariais.

Compartilhe
Escrito por
Leia mais de Ricardo Cancela

Ricardo Cancela: “Compartilhamento de carros, uma tendência mundial”

A relação com o carro está mudando e precisamos entender que este...
Read More

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *