Alphaville 44 anos: saiba como os moradores aproveitam o bairro

Neste mês, nosso bairro completa 44 anos. Para comemorar, fizemos uma enquete para entender como os moradores aproveitam a região

Principal via de acesso ao bairro, Alameda Rio Negro concentra muitos dos serviços daqui; destaque para o letreiro no canteiro central

“Corro na Via Parque quando ela está fechada aos domingos, seria legal se funcionasse aos sábados também”; “Gostaria de fazer trilhas de bike na região, mas não sei onde elas estão localizadas”; “Estabelecimentos 24 horas? Fora as farmácias, existem outros por aqui?”. Essas foram algumas das questões que nossos leitores levantaram quando começamos a fazer a enquete que resultaria na matéria de capa desta edição.

A ideia era entender um pouco mais sobre os hábitos de lazer e preferência dos moradores. Não tínhamos parado para pensar, no entanto, que esses hábitos, assim como a população daqui, estão passando por uma transformação. Nosso bairro completa 44 anos no dia 21 de setembro. Ainda é um jovenzinho – para se ter uma ideia, São Paulo tem 463 anos – e está em fase de crescimento. Há cerca de 15 anos, éramos 35 mil habitantes; hoje somos mais de 70 mil.

Para acomodar a população crescente, nossos limites geográficos também foram aumentando. Vale destacar que, quando Alphaville foi idealizada, algumas áreas foram imediatamente loteadas e vendidas, mas muitas não foram construídas naquele momento, apesar de já estarem habilitadas para isso. Com o crescimento do bairro, elas foram sendo lançadas.

Não necessariamente houve desmatamento para essa ocupação, já que boa parte das árvores eram eucaliptos, plantados (no surgimento do bairro) em áreas já habitáveis, para evitar erosões e invasões. “Recentemente, nosso plano diretor vem sendo revisado, para criarmos regras claras e rígidas para as novas construções e ocupações do solo, mas o bairro segue com potencial de crescimento”, explica Renato Silva, coordenador da Secretaria de Comunicação de Santana de Parnaíba. Em Barueri, esse plano já foi revisado, com ajuda da participação popular, e, de acordo com a Secretaria, as regras já estão em vigor.

Junto com esse desenvolvimento, também cresceu o número de estabelecimentos. Ganhamos novas lojas, centros de compras, muitos serviços e uma boa quantidade de restaurantes. Até pouco tempo atrás, era muito comum que, para um simples jantar, os moradores tivessem que se deslocar 25 quilômetros até a capital paulista. Era normal ouvir: “Não tem nada aqui”. Hoje, quando perguntamos aos nossos leitores, a maior parte garante que conhece boas opções pertinho de casa.

Com tantas transformações, fez muito sentido criar o mapa encartado na VERO e disponível aqui para DOWNLOAD. Seja o novo morador, seja o mais tradicional ou quem vem a passeio, todos podem conhecer melhor cada canto da região. No mapa apontamos as principais vias e referências do bairro, os estabelecimentos 24 horas, os mais de 80 bares e restaurantes, as trilhas de bikes, as pistas de corrida e diversos serviços. Nada mau para uma região de aproximadamente 20 quilômetros quadrados.

A PESQUISA

Ir a restaurantes é uma das atividades preferidas dos moradores de Alphaville, Tamboré e Aldeia de Serra, seguida de ir ao shopping e ao cinema. Foi o que mostrou uma enquete realizada pela VERO durante o mês de agosto com 200 moradores da região. Vale lembrar que essa pesquisa é feita sem metodologia científica e direcionada ao público via e-mail e redes sociais.

Diante de tantas opções gastronômicas, cresceu também o número de restaurantes frequentados pelos moradores daqui. Por mês, 50% dos respondentes frequentam de dois a quatro restaurantes diferentes no bairro. E, mais importante, é grande a quantidade de lugares recomendados por eles. Quase 60% das pessoas que responderam a enquete garantiram conhecer entre três e cinco ótimos restaurantes no bairro. E 23% recomendam mais de seis boas opções para comer bem.

Quando o assunto são centros de compras, a região é também muito completa. Ao todo, são nove áreas dedicadas a isso. Elas somam 250 mil metros quadrados. É como se cada habitante tivesse direito a uma média de 3,5 metros quadrados para fazer compras ou utilizar serviços. E eles aproveitam bem esses espaços. Cerca de 70% dos moradores do bairro frequentam o shopping semanalmente, de uma a quatro vezes por semana.

“Praticar esportes” também apareceu na enquete entre as atividades favoritas. Correr na rua, andar de bicicleta e jogar tênis foram as principais atividades citadas espontaneamente pelos entrevistados. Consequentemente, dá pra notar também o aumento das áreas dedicadas aos esportes e o número de atletas que se veem nas ruas. No fim de agosto, foi inaugurada a primeira ciclovia do bairro. Localizada em frente ao Colégio Universitário, ela conta com 600 metros de extensão e é interligada à ciclofaixa da Via Parque (que abre todos os domingos, das 7h às 13h). Juntas as duas somam cerca de 4,5 quilômetros e são a melhor pedida para o fim de semana. Outra atividade que vem crescendo são os passeios de bicicleta.

Além das trilhas (opção mais radical) sinalizadas no nosso mapa, algumas lojas especializadas também promovem passeios ciclísticos por aqui – uma das sugestões de rota também está no mapa –, e o número de participantes não para de aumentar. Para os mais conservadores em relação aos esportes, mas que não abrem mão de uma área verde – para um piquenique com a família ou para brincar com as crianças –, aqui vai um número que pouca gente conhece: o Parque Ecológico do Tietê tem 1 milhão de metros quadrados e diversos equipamentos de lazer. E o melhor: o parque está localizado na mesma Via Parque que é fechada aos domingos e dá acesso à nova ciclovia.

 

DÁ PRA FICAR AINDA MELHOR
Quando perguntamos aos nossos leitores sobre o que mais gostam de viver em Alphaville, qualidade de vida foi disparada a principal vantagem apontada (para 52%), seguida de segurança (33%) e áreas verdes (9%). Em relação ao que mais sentem falta por aqui despontam: opções culturais, como teatros e casas de show (35%), hospitais (27%) e praças e parques públicos (15%).

Para este último grupo, uma boa notícia: no próximo mês, a revitalização da praça e pista de cooper do 18 do Forte Empresarial será finalizada, com o apoio da VERO e de várias empresas da região. Com 3.500 m2, ela também vai contar, a partir de agora, com equipamentos

Qualidade de vida, segurança e áreas verdes foram apontadas como as principais vantagens de morar na regiãode ginástica, um novo parquinho e uma área recreativa para pequenos shows e eventos. A novidade, somada à Praça Oiapoque, à pista do muro do Residencial Um, ao Parque Ecológico do Tietê e aos demais parques da região, compõe o circuito público de áreas verdes, de lazer e de esporte por aqui. A tendência, com o aumento do uso de espaços como esses, é que as autoridades e a iniciativa privada olhem cada vez mais para a manutenção das áreas e entrega de novos equipamentos. E então, vamos para o parque aproveitar nossa região?

Compartilhe
Escrito por
Leia mais de Thais Sant Ana

Boom gastronômico em Alphaville: por que tantos restaurantes estão escolhendo nosso bairro?

Seis grandes casas chegam à região, que só nos últimos sete meses...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *