Diário de viagem: 12 dias pela Califórnia de motor home

Nossos vizinhos e amigos encararam uma aventura de 12 dias pela Califórnia de motor home e, claro, trouxeram um monte de dicas pros nossos leitores. Veja!

Texto por Victor Maximiano

Sempre tivemos o desejo de viajar em um motor home. A falta de tempo e correria do dia a dia foram adiando o planejamento, até que em 2017 decidimos que a viagem sairia! As pesquisas começaram e, por incrível que pareça, em pleno século 21, sentimos falta de dicas detalhadas sobre esse tipo de viagem.

Existem dois estilos de viagem de motor home, também chamados de Recreational Vehicle (RV). No ‘freestyle’, sem locais pré-definidos, no dia a dia da viagem é que se decide onde passar a noite. No segundo tipo – nossa opção –, a viagem é mais programada. Saímos do Brasil com o cronograma e reservas dos estacionamentos (chamados RV Parking) para quase todas as noites. Retiramos nossa casa sobre rodas em Carson, a 30 minutos de Los Angeles. É obrigatório assistir a um vídeo para aprender a lidar com as peculiaridades do motor home, como cuidados com esgoto, água e gerador, e o condutor precisa ser maior de 25 anos. Você também pode optar pela locação de kit pessoal (roupas de cama, travesseiros e toalhas) e kit cozinha (talheres, copos, panelas, etc.). O mais incrível é que cabe tudo nos armários do RV.

Start na viagem

Passamos a primeira noite em um RV Park, no meio do deserto, em Nevada – a menos de uma milha da fronteira com a California–, que também era cassino, hotel, restaurante, bar, loja de conveniência, karaokê e o que mais você quisesse. O dia seguinte foi de passeio pelo Death Valley, um parque nacional considerado o local mais quente e seco dos EUA e detentor do recorde de maior temperatura registrada no planeta Terra. Custa U$25 para entrar e deve ser pago no cartão de crédito em um totem eletrônico na entrada do parque. Por lá, há várias trilhas, cânions e vistas de tirar o fôlego, e a estrada é cinematográfica.

Nossa próxima parada para dormir foi em Lake Isabela. Seria nossa primeira noite sem reserva, e foi quando aprendemos como praticamente todos os RV Parks dos EUA funcionam após o horário de atendimento (que pode ser entre 18h e 22h, dependendo do lugar). Como a recepção fecha, são fixados num mural diversos avisos para os viajantes que chegam durante a noite ou madrugada, tais como as vagas que estão disponíveis para pernoite, preços e condições, um mapa do local indicando onde ficam os banheiros e demais dependências e como você deve fazer o “check-in” – você deixa o dinheiro da vaga escolhida junto a um formulário preenchido com seus dados dentro de um envelope, que é depositado num local indicado. Para os viajantes que tem reserva, neste mural eles encontram seus nomes e as respectivas vagas, para que você saiba onde estacionar. Ou seja, a entrada e saída são livres, e tudo é feito na base da confiança, o que nos fez refletir se uma administração dessa funcionaria no Brasil.

A maioria dos RV Parks tem opção de Full Hook Up – que significa possibilidade de fazer descarga do esgoto e da água utilizados, abastecimento de água limpa e carregamento de energia. Esse é o tipo de vaga mais completa. Tem também banheiros com chuveiro, mesas de piquenique e locais para fazer fogueira. Alguns possuem lazer completo, como piscinas, quadras e etc.

No dia seguinte, o destino era o Yosemite National Park, um dos parques mais importantes dos EUA e o lugar mais esperado por nós. Lotado de trilhas em meio aos paredões de pedra esculpidos há milênios por antigos glaciares que ocupavam a região. As paisagens são de outro mundo e a conservação e organização do parque são ímpares. No vale – Yosemite Valley – correm cachoeiras, riachos e lagos entre árvores enormes e bem antigas. É possível também ver muitas espécies de animais nativos, como esquilos, raposas e pássaros. Os ursos pardos, presentes no parque, são extremamente protegidos. Comidas ou itens com cheiro, como sabonetes e shampoos, não podem permanecer em carros ou barracas para evitar a aproximação dos ursos e riscos à saúde deles e dos visitantes.

Yosemite Fall

Passaríamos três noites com nossa casa sobre rodas neste paraíso, porém, ao iniciar o caminho da serra que dá acesso ao parque, a temperatura foi caindo drasticamente e os 34ºC sentidos no deserto pareciam cada vez mais longe. A noite caiu, a estrada ficava cada vez mais estreita, as curvas mais sinuosas e a neve mais espessa. Junto com a empolgação diante do cenário maravilhoso, crescia a preocupação com as próximas muitas milhas que tínhamos pela frente até o próximo RV Park.

A estrada escura e difícil, mais as condições do tempo, nos fizeram decidir estacionar à beira da estrada e dormir por ali mesmo, aguardando o amanhecer. A noite seguinte foi de rei e rainha, com direito a cervejinha, fogueira, marshmellows, céu estrelado e muitas risadas. O dia seguinte no Yosemite Valley foi incrível. Fizemos trilhas e conhecemos diversos pontos do parque. Conseguimos uma vaga em um dos RV Parks dentro do Valley, o que facilitou muito nossa vida.

Seguimos rumo à Lake Tahoe, um dos maiores reservatórios de água doce dos EUA – perde apenas dos Grandes Lagos da Costa Leste. É um destino tanto de verão quanto de inverno. Nos meses quentes, as opções giram em torno do lago, com diversos esportes aquáticos e de navegaçã. Já durante o frio, a diversão fica por conta da super equipada estação de ski, que traz um dos melhores teleféricos do país. Para visitação, o preço é de U$55, já se quiser praticar o ski ou snowboard, o valor é de U$100 para o dia. Há também a opção de aluguel de roupas e equipamentos próprios para o esporte, cujo valor aproximado é de U$50.

Após duas noites em Lake Tahoe, no RV Park central da cidade, fomos para São Francisco. Deixaríamos para trás trilhas, florestas e animais e curtiríamos a vida em sociedade. Lá não havia reserva, porém já tínhamos em vista alguns lugares para dormir. Nossa 1ª noite foi no Vista Point da Golden Gate – sim, aquele lugar que todos vão para tirar fotos e selfies com a famosa ponte. A sensação de adormecer vendo a Golden Gate, acordar, preparar um café da manhã, tomar banho, tudo isso em meio a centenas de turistas é, no mínimo, diferente da nossa rotina. Podemos dizer que foi o parking mais inusitado da viagem!

Um dos pontos turísticos mais famosos de São Francisco: Golden Gate

Como as cidades grandes não são lugar para RV, decidimos estacionar nossa casa pelo dia e curtir a cidade a pé. Nossa escolha foi uma das opções de RV Park de São Francisco, o Candlestick RV Park – super bem equipado com lojinha, lavanderia self service, banheiros etc, a 15 minutos do Centro. Turistamos muito pela cidade (que é maravilhosa, por sinal), com direito à Union Square, passeio de bondinho, Fisherman´s Wharf, Castro, também conhecido como Bairro Gay, comprinhas na descolada Haight Ashbury e Golden Gate Park. Finalizamos o dia com um jantar delicioso no Sessions at the Presidio.

Últimos dias pela Califórnia de motor home

O próximo destino era Big Sur e, no caminho, curtimos um pouco de Half Moon Bay, uma micro cidade litorânea de 16,7km². Como na grande maioria das cidades californianas, é sempre possível encontrar alimentos locais, orgânicos e produzidos lá mesmo (Think Globally, Eat Locally). Fomos em uma pequena lanchonete, onde os sanduíches eram todos com pão 100% caseiro, feito diariamente por imigrantes portugueses e servidos por uma imigrante sueca. No dia seguinte, a parada da noite foi o Pfeiffer Big Sur State Park com vistas maravilhosas da costa, área de preservação em forma de parque, trilhas, riachos, pontes de madeira e todas as delicias da vida em meio à natureza.

Após Big Sur, nosso roteiro continuaria rumo ao Sul. As sinalizações das estradas americanas são impecáveis, repletas de placas e avisos, porém, antes de montar seu roteiro, verifique por meio de sites se a estrada de passagem não está interditada, já que fechamentos para conservação, manutenção e readequação viária são muito comuns. A próxima noite foi em Santa Barbara, que é um charme com seu píer, marina, pista de skate, muitos hotéis, lojas e comidinhas americanas. É uma ótima pedida por ser cercada de montanhas que proporcionam um clima excelente para o cultivo de vinhos, não é à toa que nos arredores existem diversas vinícolas com passeios e degustações.

Nossa última noite ainda era uma incógnita. Saindo de Santa Barbara, após mais alguns passeios, nosso dia terminaria no Camarillo Outlet, já próximo ao nosso destino final (e também inicial): Los Angeles. Após algumas pesquisas, decidimos ir para Malibu, que estava a 30 minutos de nós. Ficamos no Malibu RV Park, uma ótima opção de frente ao mar, na beira da famosa Pacific Coast Highway. Este foi o local da última noite em nossa casa sobre rodas, que nos deu tantas memórias lindas e momentos mágicos.

Dicas e curiosidade em geral

  • Tomada, micro-ondas e ar condicionado/aquecedor funcionam quando o RV está estacionado e plugado em uma fonte de energia externa. Caso contrário, só funciona com o uso do gerador, que tem um custo adicional. (U$3,50/ hora);
  • Geladeira, freezer, fogão e aquecedor de água funcionam com propano, que pode ser encontrado em alguns postos de gasolina. Gastamos U$22 para reabastecer o tanque;
  • Alugamos o motor home Cruise America Standart 25. Acomoda até 5 pessoas, possui duas camas tamanho Queen e a mesa de jantar que vira uma cama de solteiro. Pagamos U$166/diária e cabe perfeitamente 4 pessoas que estejam dispostas a conviver intensamente. O aquecedor de água gera calor suficiente para dois banhos quentes seguidos. Para os outros ocupantes tomarem banho, a opção é esperar aproximadamente 30 minutos até que mais água esquente ou utilizar os chuveiros dos parkings.
  • O consumo de gasolina do RV é bem alto, gastamos U$810 (aproximadamente R$3.000) em gasolina e rodamos 3.200Km

Confira abaixo o roteiro dia a dia

Dia 1 De Longstreet Hotel e Casino ao Vale da Morte
Dia 2 Lake Isabella
Dia 3 Caminho de Yosemite Park
Dia 4 Yosemite Lakes
Dia 5 Yosemite Valley
Dias 6 e 7 South Lake Tahoe
Dia 8 Golden Gate Vista Point – São Francisco
Dia 9 São Francisco
Dia 10 Big Sur
Dia 11 Santa Barbara
Dia 12 Malibu

Compartilhe
Escrito por
Leia mais de vero

Oficinas de Artes abrem pré-matrículas para aulas presenciais em Barueri

Por conta da pandemia será feita uma pré-matrícula, por telefone, entre os...
Read More

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *