Eles fazem o bem: conheça moradores de Alphaville que praticam a solidariedade por aqui

Pedimos aos nossos leitores que enviassem histórias de moradores da região que praticam a solidariedade. Ao longo do mês, você confere quem são eles!

Bruna Astrini

A arte educadora mobiliza pessoas e parcerias, com o objetivo de formar uma grande rede de apoio para a comunidade escolar da região. Ela coordena o Projeto Arte SIM, que além de oferecer cursos no contraturno escolar para crianças e adolescentes do Bairro 120, em Santana de Parnaíba, possibilita que outros projetos aconteçam dentro de escolas da rede municipal. Entre eles o Myra – Juntos pela Leitura (para alunos de 4° ao 6° anos) o Leitura SIM, uma roda de leitura para turmas de 1° ao 3°anos, entre outros. Ao todo, conta com a ajuda de mais 60 voluntários. 

Christiane Zanin

Uma vez por ano, Chris e um grupo de alunos – do ensino infantil ao ensino médio do Mackenzie – arrecadam ração para um abrigo de cachorros de Vargem Grande. O Adote um Focinho – como batizaram o projeto há oito anos – já chegou a arrecadar uma tonelada e meia de ração para a instituição.

Alexandre Gabriel Cino

Ele é um dos idealizadores do Reciclismo, projeto de Barueri que arrecada bicicletas usadas ou abandonadas com o objetivo de reforma-las e, depois, doa-las para crianças carentes da região. No ano de 2019, conseguiu atender 700 crianças, doando 139 bicicletas e 700 brinquedos novos. 

Carla Samiy Conceição 

Na família da moradora de Alphaville Carla Samiy Conceição, o DNA da solidariedade passou por gerações. Em meados de 1984, os pais e um grupo de amigos assumiram a direção do abrigo São Vicente de Paulo, em Mairinque (SP), que funciona como um lar de acolhimento de idosos. Depois de ficar por quase 30 anos na direção, o pai deixou o legado para os filhos, que continuam a obra até hoje juntamente com a mãe. Para fazer o bem, eles contam também com a ajuda de amigos, que surgiram na caminhada para contribuir com as atividades na casa.

Andréa Dias Barcelos Trevisan

Para Andréa Trevisan, a inspiração para a solidariedade começou em casa. Os pais – que fundaram uma igreja em São Paulo que realizava uma série de ações com crianças carentes – a ensinaram sobre a importância do amor e do cuidado desde pequena.

Justamente por isso, a moradora de Alphaville participa da Foco Conecta, uma ONG que ministra aulas de música, esporte, danças e línguas para crianças carentes de Carapicuíba. Além da família ser associada a essa comunidade, ela já trabalhou como terapeuta infantil nas ações do projeto.

Segundo Andrea, o valor da compaixão certamente será estendido aos filhos: uma de suas esperanças é que as próximas gerações se envolvam e continuem promovendo a transformação por meio desse trabalho.

Alessandra Borin

Além de contribuir no resgate e cuidado de centenas de animais, a moradora de Alphaville Alessandra Borin contagia todos com sua solidariedade. Quando criança, passava grande parte do dia cuidando de cães, pássaros e coelhos – uma prática que se estendeu durante a adolescência e até mesmo na faculdade, quando cuidava dos cachorros abandonados que circulavam pelo campus.

Hoje, Alessandra atua com captura e castração de gatos da região, além de alimentar uma colônia controlada dentro de uma universidade. Segundo ela, um dos objetivos dessas ações é trazer uma nova consciência às pessoas da região quando o assunto é adoção e convívio com os animais.

Mônica Samaha e Adriana Marqueto

As moradoras de Alphaville Adriana Marqueto e Mônica Samaha uniram forças para fazer o bem. Juntas, elas coordenam um projeto de voluntariado em uma escola da região que realiza ações socioeducativas. Entre as principais atividades, estão os encontros quinzenais que reúnem cerca de 150 crianças e adolescentes para oficinas diversas, que são planejadas e mediadas por voluntários treinados por elas.

Jacques Alvarenga

A partir do exemplo dos pais, o morador de Alphaville Jacques Alvarenga desenvolveu valores de solidariedade desde a infância.

Além de palestrar sobre carreira e desenvolvimento pessoal para jovens da instituição CEPAC Barueri, ele foi idealizador de uma ação social que arrecadou tintas e materiais para a reforma da Associação de Apoio à Família de Barueri.

Durante o projeto, Jacques ainda arrecadou mais de 300 peças de roupas que foram doadas para as crianças e jovens assistidos pela ONG.

Dayani Nascimento

Ainda na adolescência, Dayani Nascimento começou a participar de projetos de ação social com pessoas em situação de rua e – desde então – a paixão por ajudar o próximo faz parte de sua vida.
Atualmente, ela gerencia a página do Instagram @gere_um_sorriso, que atua na divulgação de ONGs e projetos sociais, funcionando também como intermediadora entre ações de vaquinha de arrecadação.
Por meio da rede social, ela conseguiu iniciar a reforma da ONG Mundo da Fantasia, que contou com ampliações e atualizações dos telhados e janelas

Ana Célia Conrado Margoni

A moradora de Alphaville Ana Célia Margoni fez voluntariado pela primeira vez no setor pedagógico da entidade Rainha da Paz, especializada no cuidado de crianças com deficiências mentais e físicas.

Recentemente, ela se dedica ao Projeto Mãos Dadas, onde mães aprendem trabalhos manuais para depois venderem num bazar e – assim – complementarem a renda financeira da família

 

Ao longo do mês você ainda vai conhecer as histórias de vários moradores da região:

Andrea Scafuro

Mauro Guglielmo

Fernanda Prado

Ingrid Oliveira Moraes Silva

Maria Regina Leondarides

Ana Maria Sodré

Daniela Veronica Zackiewicz

Adriana Marqueto

Monica La Porte Teixeira

Carlos José Meismith

Luiz Roberto Carvalho

Lucia Cassia Ferreira O. Silva

Maralice Butieri

Marcia Helena Silva

Irene Camargo

Simone de Nobrega

Milena Barreto

Roberto Moraes Silva

Adriany Carvalho

Compartilhe
Leia mais de Gabriela Ribeiro

Programação do fim de semana: 11 dicas do que fazer em Alphaville e região

Reunimos aqui todas as atrações que acontecem na região neste fim de...
Read More

COMENTÁRIOS

  • Parabéns pela louvável inciativa de compartilhar conosco pessoas que fazem diferença em nosso meio. Apesar da honra ser melhor que a honraria que sirva para motivar mais pessoas a disseminar o bem!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *