Residencial Itahyê: um refúgio aqui do lado

Depois de oito anos sem lançamentos de empreendimentos horizontais na região de Alphaville, conheça o Residencial Itahyê, que lança segunda fase com 254 lotes

Já imaginou morar em um lugar cercado pela natureza, onde montanhas verdinhas são a primeira coisa que você vê ao abrir a janela do quarto? De frente para sua casa, uma trilha de caminhada para correr ou dar uma volta. Para preparar o almoço ou o jantar, hortaliças orgânicas e fresquinhas plantadas logo ali e entregues numa cesta bem farta na porta de casa. Só um adendo: essa não é a descrição de uma vida no campo muito longe da cidade.

O casal Tatiana Montemor Ramos, de 36 anos, e seu marido, Alessandro Ramos, de 38, por exemplo, já desfruta dessa rotina. Eles são moradores do Residencial Itahyê, em Santana de Parnaíba, que fica a dez minutos do centro de Alphaville e a meia hora de São Paulo. “Quando conhecemos o lugar, ficamos encantados com a natureza, e ainda mais quando encontramos um lote bem em frente à trilha. A gente quer que nossos filhos cresçam com qualidade de vida, respirem ar puro e brinquem na rua com segurança”, conta Tatiana, mãe do Pedro Henrique, 6 anos, e da pequena Maria Luiza, de 6 meses.

“Queremos que nossos filhos cresçam com qualidade de vida, possam respirar ar puro e brincar na rua com segurança, por isso, escolhemos o Itahyê”, Tatiana Ramos

O Itahyê foi lançado em 2008 com 415 lotes residenciais e 7 lotes comerciais, e em breve a Cipasa Urbanismo vai lançar a segunda fase, disponibilizando mais 254 terrenos para venda. Para se ter uma ideia, dos 800 mil m2 de área total do empreendimento, 300 mil m2 são de área verde. De acordo com Ivo Szterling, diretor de urbanismo da Cipasa, a diretriz principal para a concepção do projeto foi integrar da melhor forma a paisagem do entorno. “O Itahyê está numa região mais acidental, montanhosa, então, o traçado do sistema viário e a disposição dos lotes foram pensados para não desconfigurar as suas características. É possível desfrutar de um visual de quase 360 graus de montanhas de matas preservadas, com uma paisagem raríssima, talvez única, na Grande São Paulo”, conta Szterling.

Quem também aproveita ao máximo todo esse espaço e liberdade são os cachorros Peteca e Vicente, dos moradores Eduardo Dias, de 47 anos, e Gabriella Travassos, de 33. “Um dos motivos principais de ter vindo para o Itahyê foi poder pensar numa casa com um quintal grande para eles. Além disso, quase todos os dias saímos para passear pelas alamedas e pela trilha de caminhada. Eles adoram”, diz Eduardo, que está no residencial há três anos. O casal trabalha na Berrini e se desloca para a capital todos os dias, mas, segundo eles, a distância nunca foi um incômodo. “Há pelo menos três opções de caminho do Itahyê para São Paulo. Não pegamos trânsito até chegar à capital. É só por lá que a coisa complica”, conta Eduardo. E completa: “Fizemos uma escolha que compensa muito, com uma paisagem bem diferente da de qualquer lugar. Tenho o meu próprio refúgio e ainda assim estou perto de todas as opções de lazer, entretenimento e cultura”.

"Um dos motivos principais de ter vindo para o Itahyê foi poder pensar numa casa com um quintal grande para os cachorros", Eduardo Dias
“Um dos motivos principais de ter vindo para o Itahyê foi poder pensar numa casa com um quintal grande para os cachorros”, Eduardo Dias

Hortaliças na porta de casa

Além de a Cipasa adotar medidas sustentáveis na elaboração e execução do Itahyê, a empresa também quer promover esses conceitos no dia a dia dos moradores do residencial. Por isso, disponibiliza para os clientes e parceiros uma cartilha com dicas para arquitetura sustentável, como materiais de construção, formas de economia de água e de energia. Outra medida é a parceria da Associação dos Proprietários com a Fazenda Itahyê, que fornece hortaliças orgânicas para os moradores do empreendimento. Eles entregam os produtos, semanalmente, em uma cesta, de acordo com a demanda da família. Já a coleta seletiva fica por conta da Avemare, cooperativa de Santana de Parnaíba, que retira o lixo para reciclagem toda segunda e quarta-feira. E a parceria com a organização vai além: em 2015 o Grupo de Voluntariados da Cipasa e seus parceiros reformaram o espaço sede do Projeto Cafofo, onde são realizados bazares beneficentes em prol de melhorias na Avemare.

Números

Vamos falar de negócios?

De acordo com Yannis Calapodopulos, diretor comercial e de Marketing da Cipasa, o volume de terreno hoje disponível no mercado é muito menor do que o volume de imóvel construído, ou seja, a valorização de um produto como o Itahyê é grande, e a procura também. “Poucas empresas estão trabalhando com empreendimentos horizontais, por vários motivos, como falta de espaço. Então, quando se fala em lotes bem localizados, a demanda é muito alta”, afirma Yannis. Para quem tem interesse na segunda fase do empreendimento, já está sendo feito o cadastramento dos clientes no estande de vendas do Itahyê.

 

Área de lazer_2

Confira 4 respostas sobre o conceito do Itahyê aqui

Compartilhe
Escrito por
Leia mais de Beatriz Bononi

Colégio Pentágono tem parceria com Google para usar tecnologia em sala de aula

Em 2017, a instituição completou 20 anos em Alphaville. #Publipost
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *