Luis Paulo Luppa: “Pintou um clima”

Imagina você querendo arrancar sorrisos de alguém durante um velório. Vender sem gerar um clima é a mesma coisa, tudo fica mais difícil

Eu passava 200 noites do ano fora de casa, dormindo em aviões, trens e hoteis. Muitas viagens curtas, porém sucessivas para realizar palestras mundo a fora. E foi assim que  aprendi algumas coisas que gostaria de dividir com vocês.

Adoro comer e beber, então, um bom restaurante é parada certa em qualquer viagem que eu faça. Comi um bife à milaneza em Milão, uma pizza napolitana em Napoli, um bom vinho em Porto. Quando estive no Japão, comi muito sushi; em Valencia, uma deliciosa paella; em Bolonha, um inesquecível talharim a bolonheza

Parece emocionante, não é? Sabe por quê? Porque tudo na vida gira em torno do clima, do ambiente e, antes mesmo de concretizar a cena, desenhamos um mapa visual que já nos dá antecipadamente muito prazer.

Posso assegurar a você que o bife à milaneza que como em restaurantes de São Paulo não deve nada ao de Milão, assim como a paella do Dom Curro.Mas, e o clima? Bem, o clima faz toda a diferença. Você tem se preocupado em gerar um clima de vendas antes de começar a sessão de ofertas, apresentação do produto e de benefícios para o seu cliente? Isso é tão importante quanto as suas técnicas de vendas.Como é que você pretende vender alguma coisa para alguém sem um leve preparo?

Clima é tudo! Imagina você querendo arrancar sorrisos de alguém durante um velório. Vender sem gerar um clima é a mesma coisa, tudo fica mais difícil. Mas, nós somos apressados, ansiosos e a ansiedade mata a venda. O clima é o primeiro passo para a construção de um relacionamento duradouro e você sabe que em vendas isso vale ouro.

Outro grande aprendizado é que para encantar o cliente você não precisa ficar soltando fogo pela boca e dando piruetas.  Na Itália, por exemplo, um restaurante faz um atendimento padrão e só. Isso significa que não dá para inventar nada. Não adianta pedir uma cebola frita ou um pouco de maionese no prato porque não vem. Eles tem uma proposta e a executam com maestria. Apesar de viajar para a Itália há anos, cada vez que vejo isso me sinto agredido como cliente , mas lá pelo terceiro dia, aceito.

Cumprir aquilo que você prometeu é atender as expectativas do seu cliente. Aí eu me pergunto: e superar as expectativas do cliente? Bem, por aqui ninguém está preocupado com isso, e o impressionante é que os clientes saem satisfeitos e principalmente fidelizados. Então, meu amigo, antes de pensar em coisas mirabolantes, faça o combinado. Isso vale ouro!

Compartilhe
Escrito por
Leia mais de Luis Luppa

Luis Paulo Luppa: “Pintou um clima”

Imagina você querendo arrancar sorrisos de alguém durante um velório. Vender sem...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *