Luis Paulo Luppa: “Vendas online ou presenciais?”

Se você está no mundo online, por exemplo, e teve menos de 1% de conversão, precisa entender que 1%, na internet, é um negócio gigante

Aqui começa aquela grande discussão a respeito do seguinte: vendo meu produto na rua, monto uma loja, vendo na internet ou esquematizo uma pirâmide? É comum dizerem que só se vende online. Isso é uma grande bobagem e um grande perigo.

Sendo assim, quais são os produtos ou serviços que você pode e deve colocar para vender online? Simples, todo produto ou serviço cujo valor possa ser comunicado de maneira clara. Um exemplo excelente é o livro. Sabia que é um dos produtos que mais vende online? Porque a internet só precisa comunicar o valor. Imagina que você entrou em um site e quer comprar o livro Vendedor Pit Bull. Ele foi bem divulgado, você entra no anúncio e vai comprar. Você encontrou o livro e reconheceu a capa, assim, não precisa ir à livraria. Para que sair do conforto da sua casa se você pode comprar online? Como o valor pode ser comunicado, não há necessidade.

Por outro lado, todo produto que possui valor agregado não é uma boa opção para se vender na internet. Um exemplo são vendas que dependem de consultoria. Você acha que consegue vender um guindaste na internet? Você sabe qual é a porcentagem da população que compra carro pela internet? Toda vez que é necessário comunicar mais do que apenas o valor, a internet te deixa na mão.

Não existe canal de distribuição ideal, existe a adequação do seu produto ou serviço a diversos canais de distribuição. Esse é o princípio do marketing e da venda: ter inteligência para segmentar mercados. Esse é o princípio da estratégia exclusiva.

Falam assim: “se você não está na internet, como pretende sobreviver?” São coisas distintas. Você pode estar na internet para se promover, para divulgar, para explicar ou para vender. Se o objetivo é vender, só funciona se o cliente precisar saber apenas o valor do produto ou serviço. Não funciona se ele precisar de algo mais do que apenas uma mera comunicação.

Agora eu te pergunto o seguinte: como a gente pode não ser fã da internet? Se você está no mundo online e teve menos de 1% de conversão, precisa entender que 1%, na internet, é um negócio gigante, então comemore. Só que aí entra o problema: os outros 99% que não fizeram negócio com você. Será que foram para o concorrente? Será que não entenderam o que você oferece? Ou pior ainda, será que entenderam, mas não gostaram?  Entender a visitação e a conversão, e saber o que fazer com isso, é muito importante.

Muito cuidado. As vendas online te conduzem por um caminho de facilidades, de acumular  volume. Considere um aluguel por temporada. O proprietário coloca um anúncio maravilhoso, fecha o negócio, mas na hora que vai entregar as chaves, a casa está suja e desorganizada. O ciclo de vendas da casa é interrompido, não tem recompra, o cliente não faz recomendação. E vender uma vez só, amigo, até minha avó vende.

Compartilhe
Escrito por
Leia mais de Luis Luppa

Luis Paulo Luppa: “Você é corretor ou está corretor?”

O corretor vendedor quando chega num apartamento, ele já conversou com o...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *