Mariana Battazza Freire: a moradora de Alphaville que luta pela causa da hemofilia no Brasil

Mariana conquistou a presidência da Federação Brasileira de Hemofilia em 2015

Foto: Rogério Alonso

Por trás do rosto doce de Mariana Battazza Freire está uma mulher que luta, e luta bravamente por uma causa que é de todos: a hemofilia no Brasil. Bailarina profissional, a moradora de Alphaville deixou os palcos e salas de aula em 2012 para se dedicar a essa batalha. A busca por informações sobre o assunto começou por conta do filho Fábio, de 15 anos, que é portador da doença. Em 2013 Mariana entrou, oficialmente, para a Federação Brasileira de Hemofilia e, em apenas dois anos, assumia o maior cargo na instituição: o de presidente. “Duvidaram muito de mim, mas nunca levei em conta o que as pessoas achavam, sempre quis fazer a diferença. Estudei muito, participei de congressos, eventos, e tive o apoio de outra mulher, que me ajudou muito”, conta ela, referindo-se à presidente anterior. A forma como Mariana encarou as dúvidas alheias foi com eficiência: durante sua gestão, houve aumento de 232% na captação de recursos, de 90% no cadastro de pacientes e acréscimo na verba para compra de medicação. “Na diretoria eram sete pessoas, e só duas mulheres, contando comigo, mas não me vejo diferente em nada comparado aos homens. É curioso até como, no geral, a postura das mulheres é diferente. Nós somos mais ativas, questionamos mais.” Em junho sua gestão chegou ao fim, mas Mariana pretende continuar, firme e forte, nessa luta: “Nenhum doutorado me faria aprender e ter a experiência que tive. É incrível a gratidão das pessoas e ver que você mudou a vida de alguém para sempre. Isso é deixar um legado”, conclui.

Compartilhe
Escrito por
Leia mais de Beatriz Bononi

10 aplicativos gratuitos para melhorar sua vida

Tem app para praticar exercícios, para ajudar na vida financeira, para relaxar...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *