Metades

Confira a reflexão do nosso leitor Eduardo Perri sobre o assunto

Um bom começo é a metade…disse Aristóteles…se a gente pensasse como ele, nunca desistiríamos de alcançar o que queremos….Chegar até a metade de um caminho, nos anima a continuar, agora só falta a metade! Quando sentimos que nosso sofrimento chegou à metade é sinal de que falta metade para chegarmos ao alívio. Sempre gostei das metades. Depois de seis horas de medo num voo transatlântico, sinto o conforto de saber que dentro de mais seis horas vou pousar em Paris.

Se estamos entre amigos bebendo, se a garrafa de uísque chegou na metade, temos ainda metade do tempo para conversar. Quando peço um camarão à grega num restaurante, fico alegre em ver no meu prato que ainda tenho a metade dos camarões pela frente…metade é ótimo, não é pouco nem muito, é a metade. A nossa vida, geralmente, tem seu melhor começo quando atinge a metade, lá pelos quarenta anos, em que já estamos mais vividos e realizados, uma fase em que nossas inseguranças, nossos problemas financeiros, nossas ambições se reduzem à metade, já temos meio caminho andado.

Quando um jogo chega à metade, temos ainda todo o segundo tempo para reagir. Se o tanque de gasolina chegou ao meio, temos metade do tanque ainda para chegarmos a próximo posto. Tudo é melhor pela metade. Se dividirmos nossas alegrias com quem amamos, todos teremos juntos metade das alegrias a viver. Se dividirmos nosso pão com os famintos, nossa atitude por si só já matará a outra metade da fome.

Fale só a metade do tempo, assim terá a outra metade para ouvir. Não queira tudo da vida, você só vai conseguir carregar a metade. Aprenda a ouvir as pessoas, elas podem precisar apenas da metade da sua atenção. O tempo nunca estará sempre fechado pra você se notar que metade do céu está limpo. Você ainda tem metade das coisas a conquistar, ainda tem metade da vida para viver. Suas enfermidades decorrentes da idade só vão te incomodar a metade do tempo, só algumas coisas na vida não podem se reduzir a metades. Ninguém pode ser metade digno, metade verdadeiro, metade honesto, assim você corre o risco das pessoas acreditarem só na metade do que você é e do que você fala.

Eduardo Perri é publicitário, tem 71 anos e é escritor

Compartilhe
Escrito por
Leia mais de vero

Há muitas formas de ajudar

Descubra como e por que faz bem fazer o bem
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *