Na Itália: hora de conhecer a Sicília

Depois da Grécia, nossos colunistas Renato Matiolli e Sarah Moreira contam como foi sua estadia na Sicília

Giardini Naxos cruise terminal Sicily bay

A travessia da Grécia para a Sicília foi a mais longa até hoje, mas os nossos hóspedes a bordo foram extremamente importantes para o nosso sucesso!

E em relação a Sicília, a primeira impressão não foi muito boa. Estávamos mal acostumados com a Grécia… onde a infraestrutura para receber viajantes como nós é bem mais convidativa, você sempre arranja um lugar para parar o barco no muro da cidade, em uma localização incrível, por apenas alguns Euros. Aqui, ou você ancora em uma baía, ou paga uma marina cara que não necessariamente tem uma boa infraestrutura ou localização.

Então na Catania, aceitamos o novo sistema e acabamos pagando para ficar numa marina cara para conseguir fazer toda a papelada na imigração, descansar, ir ao supermercado, etc.

 

E foi aí que nossa impressão da Sicília começou a mudar totalmente, quando começamos a sair para conhecer a Catania, que é incrível! É bem como aquela Sicília que a gente imaginava, comemos maravilhosamente bem, a cidade é um pouco suja, barulhenta e desarrumada, mas cheia de vida, ao mesmo tempo que charmosa, imponente e cheia de estilo.

Ai você começa a conhecer as pessoas e você passa a amar a Sicília! A gente veio achando que ia encontrar um “Il Padrino” bem ao estilo Al Capone, meio louco e durão, e acabamos encontrando um cara super gente boa, simpático e educado, que acabou literalmente nos apadrinhando e nos guiando por toda a Sicília! O nosso querido Vicenzo! Este gentleman cuidou da gente como se fossemos seus amigos de longa data, ele estava com seu lindo veleiro na mesma marina que nós, viu nossa bandeira brasileira, e veio logo puxar papo. O Vicenzo é um cara muito interessante, já morou em vários países, incluindo o Brasil, ele conhece o mundo, suas histórias, as pessoas e os lugares, e o mais bacana de tudo, ele adora compartilhar toda a sua sabedoria. Sempre que ele vinha nos visitar no nosso barco, ficávamos todos hipnotizados com sua sabedoria e simpatia.

Imagem1

Depois da Catania velejamos rumo ao norte, em direção a famosa cidade de Taormina, uma lugar lindo, no topo de uma montanha. Infelizmente, Itália em Agosto…. não tem como ficar mais cheia… então a cidadezinha que realmente é uma graça, perdeu um pouco de seu charme pela multidão que caminhava pelas suas ruazinhas. Mas, mesmo assim, conseguimos curtir e ainda comprar tickets para ir a Ópera no “Teatro antico di Taormina”, um anfiteatro greco-romano! Inacreditável!

Da Catânia seguimos rumo ao norte, cruzamos para um cidadezinha pequena e charmosa chamada Scila na Calábria. Depois, seguindo as dicas do nosso querido Vicenzo, continuamos rumo a Lipari, uma das ilhas Eolie, mas o vento não colaborou, ficou extremamente forte na direção contra, ai acabamos desistindo e retornamos para a costa da Sicília para o Capo D’Orlando, depois Cefalú, Mondello (Palermo) e finalmente Capo San Vito (nossa ultima parada na ilha antes de cruzar para a Sardenha). Infelizmente não planejamos tempo suficiente na Sicília, foi muito pouco para o tanto de lugares incríveis que há para se visitar nessa região, acabamos tendo que correr e perdemos lugares como Siracussa e as ilhas Eolie que queríamos muito ter visto.

Renato Matiolli e Sarah Moreira são donos do barco Sail Ipanema. O casal – e seu cachorro – decidiu largar tudo e viver num barco.

Compartilhe
Leia mais de Renato Matiolli e Sarah Moreira

Velejando pela Dalmácia

Já ouviu falar nas Ilhas Dálmatas? Foi lá que começou a aventura...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *