Ricardo Amorim: “A 4ª Revolução Industrial já chegou”

Você já deve ter conversado com um sistema de computador que simula um ser humano, mas inteligência artificial é muito mais do que isso

Se você acha que inteligência artificial (I.A.) é algo futurista, embrionário ou encontrado apenas nas histórias de ficção científica, é hora de repensar. Ela já é uma realidade muito mais presente em nossas vidas do que você, provavelmente, já se deu conta. A 4ª Revolução Industrial chegou. E veio para redefinir nosso jeito de pensar, fazer, comunicar e viver – os megaexecutivos de Alphaville, José Salibi Neto e Sandro Magaldi, lançaram recentemente um livro sobre isso, confira aqui.

Há uma década, vivemos a era dos telefones inteligentes – os smartphones – e seus aplicativos. Waze, WhatsApp, Uber, redes sociais e aplicativos de jornais, revistas, bancos e tantos outros passaram a fazer parte do nosso dia a dia. Há uma nova (r)evolução tecnológica em curso, que vai colocar a anterior no bolso, com o perdão do trocadilho.

Segundo estudo do Bank of America Merril Lynch, sistemas dotados de I.A. movimentarão US$ 70 bilhões já nos próximos quatro anos, começando pelo próprio setor bancário, com redução de custos, ganhos de eficiência, automatização de processos e sistemas antifraude. Até 2025, 75% das equipes de desenvolvedores devem incluir inteligência artificial em um ou mais serviços,
e o mercado de computação cognitiva deverá representar mais de US$ 2 trilhões.

De acordo com uma pesquisa recente da IBM com 525 líderes de marketing e 389 líderes de vendas de empresas globais, 64% dos executivos acreditam que suas empresas usarão I.A. nos próximos três anos e 91% acreditam que a computação cognitiva ajudará suas organizações. Ginni Rometty, CEO global da IBM, afirmou que o Watson, plataforma de solução cognitiva da empresa, já é usado por cerca de 1 bilhão de pessoas. Sim, 1 bilhão de pessoas!

Sabendo ou não, você já deve ter sido atendido ou ter conversado com um sistema de computador que simula um ser humano – como chatbots, Siris ou Google Assistente –, mas inteligência artificial é muito mais do que isso. Ela veio para revolucionar nossas vidas e os negócios. O Bradesco, por exemplo, já usa o IBM Watson em seu call center e em todas as suas 5.650 agências no país para ajudar os atendentes e gerentes a responder a mais de 200 mil perguntas sobre os produtos e serviços do banco.

Outra realidade já presente são empresas, organizações e marcas investindo em comunicação personalizada com seus clientes. Hoje já é possível responder de forma específica às necessidades das pessoas e de pequenos grupos, e não apenas de forma genérica à grande massa. A consultoria de soluções cognitivas Nexo, parceira da IBM no país, já faz isso para empresas como Whirlpool, Vertiv, Smiles e até mesmo o Tribunal de Justiça de São Paulo. Recentemente, em uma feira de lançamento do primeiro caminhão elétrico da Volkswagen, a Nexo implementou uma solução de I.A. para que o público pudesse conversar com o novo modelo da montadora. Isso mesmo, conversar com o caminhão.

E você e o seu negócio, estão prontos para a revolução?


Gostou? Leia mais artigos de Ricardo Amorim aqui. 

Compartilhe
Escrito por
Leia mais de Ricardo Amorim

Hora de investir em imóveis

Há cerca de 10 anos, analistas começaram a vaticinar que o Brasil...
Read More

COMENTÁRIOS

  • Dimitar Berbatov was treated to a hero’s welcome on Thursday as 10,000 jubilant PAOK Salonika fans turned up to greet the club’s new signing at their Toumba Stadium. Dimitar Berbatov unveiled in front of 10,000 PAOK fans after penning two-year deal  

    https://bit.ly/2JCArSc

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *