EMDR, psicoterapia, educação e equilíbrio

Saiba como a EMDR pode ajudar seus filhos a terem mais equilíbrio na vida acadêmica

Por Shaiana Lick

Uma das fases mais intensas e importantes da nossa vida é o período escolar, que se inicia na primeira infância e, na maioria dos casos, estende-se até a faculdade.

É no ambiente escolar que aprendemos a nos relacionar em sociedade, criamos laços afetivos e também desenvolvemos a cognição. Por outro lado, é também no ambiente escolar que muitas inseguranças, dificuldade de relacionamento, dificuldade de regulação emocional e baixa autoestima surgem.

Essas inseguranças, baixa autoestima e até mesmo traumas podem ser fruto da interação disfuncional com colegas, professores ou com família. Ou ainda, podem ser fruto de um baixo desempenho acadêmico ou por não atingir a expectativa da família ou da escola.

Segundo Aramis Lopes Neto (2205), a escola é de grande significância para as crianças e adolescentes, e os que não gostam dela têm maior probabilidade de apresentar desempenhos insatisfatórios, comprometimentos físicos ou para a saúde mental.

Sabendo da importância da saúde mental, a terapia e a abordagem EMDR podem ser grandes aliadas dos pais, estudantes e, inclusive, das escolas no processo de aprendizagem, socialização e para um bom desempenho acadêmico. Através do acompanhamento psicológico, questões relacionadas ao bullying, comportamentos disfuncionais entre colegas ou o baixo desempenho por causa de crenças negativas, podem ser melhoradas, trazendo mais qualidade de vida para as crianças, adolescentes e suas famílias.

Pensamentos como “não sou bom o suficiente”, “não sou inteligente” ou ainda “não sou capaz”, são as chamadas “crenças negativas” e podem atrapalhar o desempenho escolar, mesmo que a criança ou adolescente consiga acompanhar o conteúdo e não apresente nenhuma disfunção cognitiva. Neste ponto, é a saúde mental e emocional que precisa de atenção.

Estudos apontam uma relação direta entre relacionamentos interpessoais positivos e desenvolvimento acadêmico. Crianças e adolescentes que percebem apoio têm maiores possibilidades de alcançar um melhor nível de aprendizado e regulação emocional diante de situações difíceis.

Neste cenário, a terapia, a psicoeducação e o reprocessamento de crenças negativas através da abordagem EMDR podem ser grandes aliadas para que as crianças e adolescentes se desenvolvam e consigam aprender de forma mais tranquila e efetiva e, para que os pais e professores desenvolvam-se e consigam auxiliá-los nesta jornada.


Shaiana Lick (CRP 06/138397) é psicóloga, pós-graduada em gestão de pessoas pela FIA e terapeuta EMDR pela Tapia Counseling (Consultor aprovado pela EMDRIA, USA). É membro da Associação Brasileira de EMDR, do Programa Ajuda Humanitária Psicológica – Brasil e do Projeto Social “Voa Borboleta” | Av. Sagitário, 138, sl 2213, Torre City, (11) 93310-4321, @shaianalick.emdr | shaianalick.com

Compartilhe
Escrito por
Leia mais de vero

Hospital Municipal de Barueri está com vagas abertas para pessoas com deficiência

São setores como administração, serviço social, ambulatório, almoxarifado, reabilitação, entre outros, para...
Read More

COMENTÁRIOS

  • Eu tenho com 100% de sucesso usado a ferramenta EMDR para resolver traumas emocionais, fobias, transtorno de pânico e para eliminação de memórias desagradáveis. Os precursores da Técnica Reprocessamento e Dessensibilizarão pelos movimento oculares, foram eliciada e utilizada em casos traumas psicológicos de sobreviventes de pós-guerras e hecatombes e desastres ecológicos.
    VALDEMIR RIBEIRO – Psicanalista – pós-graduação em Psicopatologia em Saúde pública pela USP/IPQ – Instituto de Psiquiatria, Docente em Neurociências pelo EDUMED, especializado em Neuroaprendizagem multissensorial, Terapia da Linha do tempo. Autor dos Livros: Saúde Total pela Limpeza Mental e Neuroaprendizagem Multissensorial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *