Sua empresa apoia as mães no ambiente de trabalho?

91% das empresas premiadas pelo GPTW têm pelo menos um profissional dedicado a combater a discriminação e a promover a diversidade

Você sabia que aproximadamente 30% das mulheres já deixaram o mercado de trabalho para cuidar dos filhos? Esse são os dados de uma pesquisa realizada pela Catho em 2018.

Outra pesquisa, também realizada pela Catho em 2021, mostra que as mulheres ganham menos que homens em todos os cargos de liderança, cuja diferença média é 34%. Além de salários inferiores, elas ainda se deparam com obstáculos em algumas áreas. Em tecnologia, por exemplo, ocupam apenas 19% dos cargos! Segundo a diretora do Great Place to Work®, Bárbara Gianetti , é possível mudar esse cenário no ambiente corporativo através de um conjunto de políticas de RH que olhem para as profissionais com filhos e tenham uma atenção especial à primeira infância.

Além disso, Luise Freitas, também diretora do GPTW, comenta que para que a equidade seja uma realidade, é fundamental que as organizações se mantenham atentas em relação ao tema.

Dados do Great Place to Work mostram que 91% das empresas premiadas na lista da 150 Melhores 2020 têm pelo menos um profissional dedicado à função de combater a discriminação e promover a diversidade. Então, confira algumas dicas para você implementar na sua empresa:

– Conceder licença maternidade de pelo menos 6 meses, ter uma sala de lactação permanente e dedicada exclusivamente para este uso são duas práticas simples e que, quando bem implementadas, fazem toda a diferença para as recém mães.

– O auxílio babá e o auxílio creche diferenciado, com um valor maior do que o previsto por lei, são práticas bastante comuns nas empresas premiadas pelo Great Place to Work® que se destacam nas listas.

– Como o retorno ao trabalho não é necessariamente fácil para as mães, diversas empresas também adotam práticas de horários flexíveis específicas para as profissionais que têm filhos.

– Ao recrutar novos candidatos, muitas das melhores empresas, nas entrevistas, não perguntam, por exemplo, se o candidato ou candidata tem filhos ou se pretende ter, qual idade ou estado civil ou se exerce função de cuidador, justamente para que a empresa possa tomar decisões efetivas e livres de vieses ou preconceito.

Para a Luise, que além de diretora do GPTW é também mãe de duas filhas pequenas, conciliar trabalho, casa e maternidade fica muito mais fácil quando se encontra  um ambiente inclusivo e com práticas voltadas para as mães e para a primeira infância.

Como resultado desse investimento, explica Bárbara, “vemos empresas com colaboradoras muito mais engajadas e com orgulho de pertencer, com um turnover significativamente menor e um desejo de permanência maior. Investir nas mães, na primeira infância, é, portanto, uma contribuição significativa para toda a nossa sociedade”.


A VERO é Parceira do GPTW e publica anualmente a lista das melhores empresas para trabalhar de barueri e região

Compartilhe
Escrito por
Leia mais de vero

Consultora de imagem cria gifts especiais para mães utilizarem até dezembro

Para as mamães se sentirem confortáveis, confiantes e ainda mais lindas, a...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *