Hélio Contador: “A Neurociência tem como contribuir para o sucesso de um negócio?”

A busca pelo conhecimento das funções cerebrais ligadas às emoções, pensamentos, comportamentos e tomada de decisão pode significar um grande diferencial nos resultados de uma empresa

A resposta para essa pergunta é muito simples, pois onde existem seres humanos produzindo ou consumindo, a Neurociência tem tudo a ver com isso! Ao longo desse artigo vamos elucidar um pouco mais essa afirmação e entender as várias possibilidades de utilização do conhecimento do funcionamento do cérebro humano nas diversas áreas de negócio.

Mas, antes da Neurociência aparecer de uma forma tão contundente, como os negócios funcionavam? Essa pergunta é bem interessante, mas a resposta também é bem simples. Muitas técnicas utilizadas no passado foram descobertas empiricamente, através de tentativas e erros, mas sem uma base teórica sólida de apoio. A Neurociência, através dos avanços tecnológicos dos equipamentos médicos, tais como Ressonância Magnética, Tomografia Computadorizada, Sistema Eyetracking e outros mais, pôde comprovar (ou modificar) teorias do passado e complementar outras descobertas que estão ajudando a desvendar situações antes enigmáticas.

Entender o funcionamento do cérebro humano e sua interação entre pessoas e suas implicações nos negócios é um dos grandes desafios da atualidade no mundo corporativo – leia também “O Cérebro social num mundo digital”. A busca pelo conhecimento das funções cerebrais ligadas às emoções, pensamentos, comportamentos e tomada de decisão pode significar um grande diferencial nos resultados de uma empresa.

A tentativa de decifrar e decodificar o comportamento humano tem sido a grande disputa da comunidade científica nos últimos tempos, porém a complexidade dessas pesquisas é enorme, considerando que a multidisciplinaridade dos eventos é muito grande, uma vez que estamos falando em disciplinas tais como Neurociência, Psicanálise, Neurolinguística, Filosofia, Física Quântica, Ciência Computacional e Inteligência Artificial.

Que tal por tudo isso em termos mais práticos e concretos? Vamos então identificar alguns exemplos de aplicação da Neurociência no dia a dia:

Marketing e Vendas

O conhecimento do padrão comportamental do seu público alvo é fundamental na hora de desenvolver os produtos, sua embalagem, suas estratégias de marketing e pontos de venda. Identificar os principais gatilhos mentais que nos impulsionam nas tomadas de decisão de uma compra faz toda a diferença entre o sucesso e o fracasso.

Comunicação

A qualidade da comunicação pode ser o grande diferencial entre o sucesso e o fracasso de um negócio. Considerando que nosso sistema nervoso é ensinado a interpretar e concluir o provável significado das palavras e gestos mesmo antes de concluirmos a frase, todo cuidado é pouco no processo de comunicação, seja ele interno, com os funcionários, entre pares ou com o mercado.

Liderança

Já cansamos de ouvir que não existe mais espaço para chefes e sim líderes modernos que conhecem os mecanismos de identificação comportamental de seus liderados e utiliza esse conhecimento para tirar o melhor desempenho de cada um, conforme suas aptidões e competências individuais. O líder assertivo e empático consegue melhores resultados do seu time.

Criatividade e Inovação

O desafio é criar ambientes apropriados que possibilitem conforto e segurança para os funcionários criarem e inovarem nos produtos e processos da empresa. Esses ambientes devem oferecer condições para aumentar a conectividade entre ambos os hemisférios do nosso cérebro, condição importante para se criar algo novo.

Foco e Produtividade

Treinamentos específicos ligados às áreas cerebrais de atenção e concentração possibilitam uma redução do desperdício, melhor produtividade e comprometimento da equipe. Identificar e minimizar ações que distraiam as pessoas faz parte desse processo, lembrando que cada um de nós tem uma identidade específica de concentração ou distração. Um exemplo claro é que a música pode levar a um grande poder de concentração em certas pessoas, e, no entanto, ela pode ser uma peça de distração para outros.

Esses são apenas alguns pontos que podemos destacar dentro do tema a que me propus falar nesse artigo.

Em resumo, a Neurociência aplicada nos negócios se concentra na utilização do conhecimento sobre o funcionamento do cérebro, a mente e o comportamento humano na estratégia dos negócios, no marketing, nas vendas, na gestão de pessoas, na comunicação e na capacitação da liderança empresarial.

A consequência disso tudo é uma potencial melhora na produtividade, redução de custos, melhor ambiente e satisfação no trabalho, maior destaque e sucesso nos negócios.

Um abraço e até nosso próximo artigo…


Gostou? Leia mais artigos de Helio Contador aqui! 

Compartilhe
Escrito por
Leia mais de Helio Contador

Helio Contador: “Por que o mesmo fato gera percepções e memórias diferentes?”

Como duas pessoas, dificilmente, terão passado pelas mesmas situações e cultivado exatamente...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *