Wilson Medeiros: “7 tendências no mundo dos negócios para um futuro próximo”

Para onde caminha o mundo dos negócios? Pesquisa em 87 países aponta as tendências globais para o futuro próximo

Jogos e namoros online fazem com que os jovens nos Estados Unidos fiquem em casa 70% mais tempo do que a média da população. Esse é um indicador importante para um mundo que caminha cada vez mais para o “delivery” e o online.

Segundo a agência inglesa de previsão de tendências WGSN- Worth Global Style Network -, esses são dois movimentos que devem transformar a cultura e os negócios nos próximos três anos.

Leia também: “Help! Como pedir ajuda aos negócios”.

 Agências de pesquisa de tendências são fundamentais para ajudar a definir investimentos a médio prazo. O trabalho da WGSN- abrange 87 países. Começa com a coleta de expressões na internet e evolui para entrevistas. Partindo das pesquisas mais recentes, a agência detectou 7 tendências para o futuro próximo. São elas: 

1. Adaptação às mudanças climáticas

A responsabilidade ambiental está no foco de investidores e consumidores. A rede Starbucks, por exemplo, pretende investir meio bilhão de dólares em pesquisas de grãos resistentes a mudanças de clima. No Brasil, essa tendência pode demorar mais a emplacar, porque o mercado consumidor ainda tem uma parcela à margem. Mas vale ficar de olho.

2. Combate aos excessos

Cada dia mais é preciso reciclar, reaproveitar tudo. O movimento será mais das empresas do que dos consumidores, com ações como formação de parcerias para aproveitar sobras de produção e conversão para energias reaproveitáveis. 

3. China no poder

Quem pensa  que China já deu o que tinha que dar está enganado. Em diversos campos, o país continua  à frente no jogo da inovação da indústria mundial. É preciso olhar com atenção para o mercado chinês.  

4. Explosão da “Splinternet”

É como são chamadas as microcomunidades, regulamentos e restrições de autoridades em vários países, que estão minando a noção de uma internet unificada. A oportunidade é de construção de comunidades ou ecossistemas próprios de comércio. 

5. Grande desigualdade econômica

O pior é que ela virá acompanhada de um freio no crescimento global. Em contrapartida, o cenário favorece a automação, a fim de cortar custos e baratear produtos.

6. Polarização demográfica

A população mundial está envelhecendo com mais saúde, gerando um novo mercado de idosos. O termo “gerontolescência”, aliás, foi criado para definir “sessentões” e “setentões” cheios de vida e de projetos pessoais.

7. Avanço do “datanomics”

Segundo a consultoria WGSN, “a crescente percepção de que os dados digitais que criamos são uma commodity a ser comprada e vendida vai levar à formação de um mercado de dados”. Os casos de mau uso dos dados de usuários de serviços têm pipocado na mídia, como o da americana Datawallet, plataforma em que consumidores vendem suas informações às empresas.

O resultado da pesquisa, feita em 87 países, é um chamamento interessante para os “líderes e pensantes” das organizações diante dos próximos três anos.  As tendências são como uma lente de aumento no mapa mundi dos negócios para que, mais do que lamentar uma mudança de rota, encontremos o caminho para excelentes oportunidades e novos ganhos.

Fonte da pesquisa: Harward Review, David Cohen


Gostou? Leia mais artigos de Wilson Medeiros aqui. 

Compartilhe
Leia mais de Wilson Medeiros

Wilson Medeiros: “Análise de dados: use com moderação”

Mais do que nunca, o discernimento – especialmente aquele subjetivo e baseado...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *